Nas estradas e encruzilhadas da Vida, liberto das roupagens da vaidade e da jactância, tento merecer esta minha condição de ser vivo.

12
Set 12

 

 

 

Disse adeus à minha terra

e deserdado parti.

Soldado, não fui à guerra;

a paz nunca conheci.

 

Por caminhos devastados

p'la razão da força bruta,

fui mais um dos humilhados

da resistência e da luta.

 

Mas descobri-me integral

quando minha fiz a Terra,

sem mentiras nem fronteiras.

 

E nascido enfim plural,

sofro todas as canseiras

e morro em todas as guerras.

 

  

José-Augusto de Carvalho

In Sortilégio, Lisboa, 1980.

publicado por Do-verbo às 19:13

Conhecia já este soneto mas não deixo de comentar para dizer que é um excelente poema, com o qual me identifico também.
Abraço
João de Sousa Teixeira a 13 de Setembro de 2012 às 18:01

Grato pelo aplauso e pela sintonia, meu prezado poeta.
Abraço.
Do-verbo a 13 de Setembro de 2012 às 18:34

Setembro 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
13
14
15

17
18
20
21
22

23
24
25
26
28
29



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO